728 x 90
[lbg_audio8_html5_shoutcast settings_id="1"]

Café robusta de RO é arrematado pela 1ª vez em leilão de concurso nacional de qualidade

Uma saca foi vendida por R$ 1.600 e a outra por R$ 1.550, sendo cinco vezes maior do custo de mercado.

Pela primeira vez, duas sacas de um robusta amazônico produzido em Rondônia foram arrematadas nesta quarta-feira (12) no leilão dos melhores cafés nacionais da Associação Brasileira de Indústria do Café (ABIC). A ação faz parte do 16º Concurso Nacional ABIC de Qualidade e durou dois dias.

As sacas são do cafeicultor Alex Marques de Lima, de Alto Alegre dos Parecis (RO). Ele venceu o concurso da ABIC pela categoria conilon/robusta. A participação de amostras de café robusta é inédita no concurso. Os valores do arremate foram de R$ 1.600 e R$ 1.550 para cada saca, sendo cinco vezes maior do custo de mercado (em média de R$ 300).

“É um produto regional e tem qualidade para exportação e ser comercializado por consumidores mais exigentes do país. É um reconhecimento ímpar”, disse Enrique Alves, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de Rondônia.

Conforme Enrique, o valor mínimo para os compradores arrematarem os produtos era de R$ 865. O café de Alex, por exemplo, esteve entre os mais disputados.

Dezenas de cafeicultores participaram da competição e, na última semana, um júri especial votou nos melhores cafés do país. O café de Alex teve 7,48 pontos e levou o primeiro lugar.

O 16º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café – Origens do Brasil – safra 2019 teve um número recorde de participantes: foram 15 regiões produtoras brasileiras, onde somaram 44 amostras.

Fonte: G1.Globo

banner plan materia
floricultura

Comentarios

os comentaio sao de sua problia responsabilidade *

Novidades